1
Como criar um blog

Eu sempre gostei de tecnologia e principalmente da “Internet”. Mas se há 10 anos você tivesse me dito que eu ganharia a vida com um blog…

… eu provavelmente teria rido da sua cara.

Eu achava que os melhores empregos estavam nos escritórios chiques de São Paulo, do Rio de Janeiro ou de Lisboa.

Mas, aparentemente, isso mudou!

Na WebsiteToolTester criamos muito mais conteúdo do que apenas artigos de blog. Porém, temos o grande orgulho de constatar que cerca de 50% dos nossos leitores vêm do nosso blog. Nós gerenciamos blogs em 7 idiomas, totalizando 150.000 visitantes por mês.

wtt blog traffic vs all traffic 1

Mas chega de falar de mim, estou aqui para mostrar como fazer um blog de sucesso (espera-se).

Aperte os cintos, temos uma viagem divertida pela frente.

Prós e contras de criar um blog

Como eu disse, um blog pode ser um trabalho extremamente gratificante (não apenas no quesito financeiro). Mas, claro, também existem os pontos negativos. Vou falar um pouco mais sobre o que você pode esperar:

Prós Contras
  • Pode ser lucrativo: Existem muitos exemplos de blogueiros fazendo fortuna, mas aposto que eles também trabalham pesado.
  • Trabalho flexível: Exceto se a sua ideia de blog tiver necessidades especiais (ex.: você faz resenhas sobre restaurantes em Nápoles), é possível trabalhar de qualquer lugar a (quase) qualquer hora.
  • Continuar aprendendo coisas novas: Nesses anos, eu também tive que aprender coisas novas e enfrentar desafios constantes (ex.: SEO, e-mail marketing, marketing de conteúdo, etc.). Além disso, conheci pessoas muito inspiradoras no setor.
  • Ser seu próprio patrão: Você tem controle total para conduzir o seu negócio. Boas ou más escolhas, você é o único a decidir.
  • Sentir-se bem (pelo menos para mim): É recompensador escrever conteúdos sabendo que isso vai (potencialmente) ajudar centenas e centenas de pessoas.
  • Nem todo mundo consegue: Você verá muitas pessoas exibindo o tanto de dinheiro que ganharam com o blog, mas saiba que não é bem assim para todo mundo.
  • Pode ser solitário: A menos que o seu projeto cresça muito, a maior parte do tempo você vai trabalhar sozinho e pode se sentir isolado. Para isso existe a possibilidade de socializar em espaços de coworking.
  • Você vai precisar de (alguns) conhecimentos técnicos: Você não precisa ser um profissional de TI. Porém, administrar um blog exige um pouco de conhecimento técnico. No mínimo, tem que estar disposto a aprender.
  • Você vai trabalhar muitas horas: Esteja ciente de que criar o seu próprio blog é como criar qualquer outro negócio. Se você quer ser bem-sucedido, tem que ralar mais do que a concorrência.
  • O retorno leva tempo: Não conheço ninguém tão sortudo a ponto de começar a viver (decentemente) do blog em 2 meses. Eu diria que você pode esperar 1 ano (no mínimo) para conseguir ver resultados.

Reuni esse processo de criação em 8 etapas para ajudá-lo com o seu. Vamos dar uma olhada.

Ideias para o blog: falar sobre o quê?

blog idea criar

Com sorte, você já tem uma ideia do que falar no seu blog. Quem sabe você seja um jogador de golfe sério ou se interesse por comida vegana.

Se for o caso, siga sua intuição e faça um blog sobre o seu hobby (ou profissão).

Ou então, se não tiver nenhuma ideia clara (ou mais de uma), você deve fazer algumas pesquisas.

Mas você sempre deve confirmar essa ideia. Veja um procedimento que pode ser útil:

1 – Juntar ideias

Ter ideias do nada é ótimo. Mas se estiver perdido, pegue um papel e uma caneta e comece seu brainstorming.

Observação: pessoalmente, acho que ajuda sentar em uma cadeira com música relaxante de fundo e uma xícara de café ou chá na mão.

Você pode começar preparando o que se segue:

  • Listar 5 coisas que você ama (incondicionalmente) fazer no seu tempo livre.
  • Escrever os assuntos que você já conhece bem.
  • Listar 5 assuntos que você gostaria de aprender (mais).
  • Listar 5 publicações informativas que você lê (on e off-line).
  • Listar 5 coisas que você faz muito bem.
  • Verificar seu histórico de navegação e ver quais tipos de artigos e produtos você consulta.
  • Perguntar-se que tipos de perfis você segue nas redes sociais.

Tomara que isso tenha te dado algumas ideias. Agora, na etapa 2, você deve avaliá-las e tomar suas decisões.

2 – Você é apaixonado pelo tema?

Eu sei… você só queria criar o seu próprio blog e ganhar muito dinheiro.

Você não liga se tiver que falar de assuntos gerais entediantes, como a “História das Estatísticas”, isso não parece ser um problema.

Mas espere aí, não tão rápido!

Eu sei que pode soar condescendente, mas no seu blog você deve falar sobre algo que realmente ama (ou sabe que vai amar).

Se você quer um blog de sucesso, vai precisar ter muito conteúdo sobre o mesmo tema. E se não estiver satisfeito, vai acabar abandonando mais cedo ou mais tarde, e provavelmente perder horas e horas de trabalho.

É como um amigo meu, que encontrou o segmento perfeito para um blog: caiaques de pesca infláveis. A situação era ideal: pouca concorrência e tráfego (relativamente) alto no Google. Ele até escreveu alguns artigos, mas acabou se dando conta de que odiava pescar e no fim nem publicou o conteúdo.

3 – O seu segmento é grande o suficiente?

Como é de se imaginar, para monetizar o blog você vai precisar de tráfego. Mas pode acontecer de precisar de mais visitantes do que o previsto.

Infelizmente não existem dados confiáveis sobre isso. Mas partamos do seguinte cenário:

  • Você recebe 200 visitantes por dia.
  • Sua taxa de conversão é de 1,5%.
  • Você ganha R$ 12,00 por conversão.

Com esse volume de tráfego, você vai ganhar cerca de R$1.120 por mês. Eu sei que não é ruim, mas isso não vai mudar a sua vida, vai?

Portanto, a menos que você queira ganhar uma mixaria por hora, 5.000 visitantes por mês não resolverão, esse número tem que ser maior. E sim, isso requer tempo e esforço.

Você não terá certeza se o segmento que escolheu é grande o suficiente até se lançar. Veja algumas dicas úteis para saber se está no caminho certo:

  • Já existem blogueiros estabelecidos.
  • Você vê vários resultados quando faz pesquisas relacionadas.
  • Você vê anúncios do Google nos resultados da sua busca.

anuncios google

O que você pode tentar:

  • Verifique a popularidade do seu assunto no Google Trends (as buscas estão aumentando?).
  • Faça uma primeira análise de palavras-chave (ex.: pelo Google Keyword Planner ou KWFinder).
  • Tenha bom senso!

Dica: você pode associar assuntos/segmentos diferentes em um único blog, contanto que eles estejam ligados de alguma maneira. Se o seu conteúdo estiver profundamente focado em um único tema, será muito mais fácil para as pessoas (e os mecanismos de busca) o terem como referência. Não escreva sobre calçados de esporte um dia e faça uma resenha de hotel no dia seguinte. Fique no segmento que você escolheu!

4 – Você pode monetizar o seu segmento?

Existem várias formas de monetizar o seu blog (veremos mais sobre isso depois). Porém, nem todos os segmentos são iguais e alguns são mais lucrativos (e geralmente mais competitivos) do que outros.

Para garantir que o assunto do seu blog seja rentável, você pode:

  • Procurar na Amazon produtos relacionados ao seu segmento. Existem vários?
  • Verificar se o Google mostra anúncios quando você pesquisa sobre o seu segmento.
  • Verificar se existem programas afiliados vinculados ao segmento (ex.: pesquisar “[ASSUNTO] + programa afiliado” no Google).
  • Conhecer os programas afiliados em sites como Awin, Amazon ou Tradedoubler. awin plataforma marketing affiliate

Ver produtos serem vendidos on-line, empresas fazendo anúncios no Google ou produtos com programas afiliados costuma ser um bom sinal de que o segmento é rentável.

5 – Avalie a concorrência

Como era de se esperar, segmentos com muito tráfego e altamente lucrativos (ex.: jogos de azar on-line ou finanças) atraem grandes empresas com muito dinheiro.

E, claro, você quer um segmento vasto e bastante rentável, mas é muito improvável que você consiga se a concorrência for rude demais.

Comece identificando seus concorrentes. Basta usar o Google para encontrar os mais importantes, digamos de 5 a 10 sites.

competidores blog

Por exemplo, segundo o Ahrefs, o segmento do futebol é bastante competitivo

Tenha bom senso e fuja desses assuntos com uma concorrência absurda. Veja algumas dicas para avaliar essa competitividade:

  • Saiba quantos blogs (consistentes) existem disponíveis.
  • Verifique a número de artigos publicados por cada um dos concorrentes.
  • Avalie a qualidade geral: conteúdo bom ou ruim?
  • Com que frequência eles publicam conteúdo?
  • São blogueiros individuais ou grandes empresas?
  • Use ferramentas como Moz, SemRush e Ahrefs para verificar as métricas de SEO deles: procure o tráfego, backlinks, otimizações de SEO, etc.

6 – Qual será sua abordagem?

O seu blog não pode ser só mais um blog, ele precisa se destacar da concorrência, sobretudo em um mercado altamente competitivo.

Caso contrário, por que os usuários (ou os mecanismos de busca) devem dar atenção ao seu blog?

Pessoalmente, acho que as recomendações abaixo são as mais comuns para distinguir o seu blog (você pode colocar em prática mais de uma por vez):

  • Especialize-se em um subtema (ex.: comida > comida vegana > comida vegana para atletas).
  • Faça um esforço extra e forneça informações que os seus concorrentes não fornecem.
  • Mantenha o seu conteúdo atualizado;
  • Invista em conteúdo multimídia (ex.: vídeos, podcasts, fotos profissionais, etc.).
  • Lance uma comunidade on-line (ex.: fóruns, espaço para comentários, etc.).

Como encontrar o nome do blog?

nome du blog

Agora que temos o tema do seu blog, precisamos do nome. Eu diria que esta é uma escolha pessoal e não existem receitas para um nome eficaz.

Porém, gostaria de dar algumas dicas para que você possa pensar e chegar a algumas conclusões:

  • Tente escolher um nome curto (no máximo 2 ou 3 palavras), é mais fácil de lembrar.
  • Ele deve se relacionar ao seu site ou a você de algum modo – também pode ser o seu nome e sobrenome.
  • Facilite a ortografia e a pronúncia – evite letras duplicadas ou erros de ortografia, como flickr.com ou elegantthemes.com.
  • Se o SEO é importante para você, inclua uma palavra-chave no nome de domínio – observação: o Google diz que isso não vai mais ajudar (em inglês).
  • Assegure-se de que ele é adaptado à sua marca – ex.: não muito longo para um logotipo.
  • Deixe espaço para expandir os assuntos do seu blog – ex.: mundodocelular.com.br não é um nome inteligente se você também pretende falar sobre tablets ou wearables posteriormente.
  • Tenha em mente as redes sociais – ex.: o nome deve estar disponível no Instagram, no Twitter e assim por diante.
  • Cuidado com as marcas registradas! Por exemplo, o Shopify Ninjas e o Adsense Flippers tiveram que mudar o nome de suas empresas por causa de problemas de direitos autorais.
  • Procure sinônimos on-line.
  • Faça uma votação rápida com as suas melhores ideias perguntando para os amigos e a família.

register your blog domain with namecheap 1

Ótimo, agora que você já tem o nome (espera-se que ele ainda não seja usado), é hora de registrar um nome de domínio:

  • Você pode usar provedores como Namecheap, GoDaddy ou 1&1.
  • Tente registrar um nome de domínio com .com, .pt ou .com.br – essas são as extensões mais conhecidas.
  • De modo geral, eu não recomendaria o uso de números, é mais fácil lembrar de palavras.
  • Se puder, evite colocar hífen no seu nome de domínio – algumas pessoas dizem que spammers e sites de baixa qualidade costumam usar.
  • Antes de registrar o seu nome de domínio, tenha certeza de que ele se lê corretamente – penisland.net (Pen Island) ou powergenitalia.com (PowerGen Italia) serão sempre lembrados pelos motivos errados.
  • Deixe a opção de renovação automática ativada para não se esquecer de renovar o seu nome de domínio e acabar perdendo.

Existem algumas ferramentas que você pode usar para ajudá-lo a ter ideias de nome (ex.: BustAName ou Dot-o-mator).

Dica de Profissional: alguns blogueiros procuram nomes de domínio expirados com ainda algum valor de SEO (ex.: no ExpiredDomains.net). Contudo, isso pode ser uma armadilha porque esses nomes de domínio também podem ter sido penalizados (ex.: por motivos de spam). O meu conselho é passar longe deles, a menos que você saiba o que está fazendo.

Onde começar um blog?

melhores plataformas de blogs

O que é um blog mesmo?

Um blog nada mais é do que um site (ou parte de um site) com estrutura específica (a ordem cronológica invertida é a mais comum) e formado por diversos posts (páginas) que, idealmente, tratam de um tema comum.

Assim, você vai precisar ter o seu próprio site (com um sistema de blog) para criar o seu.

Observação: existem muitas outras soluções que você poderia usar, como Tumblr, Blogger, Webnode ou WordPress.com. Porém, por questões práticas, selecionei as que considero ser as melhores plataformas de blog.

WordPress – A abordagem poderosa

criar blog wordpress

O WordPress(.org) é responsável por cerca de 30% de todos os sites, sendo claramente o CMS mais bem-sucedido do mercado. É uma plataforma PHP que surgiu em 2003 como uma solução para blogueiros – portanto, você está em boas mãos.

O WordPress em si é de graça. Porém, é preciso hospedar o aplicativo com um provedor de hospedagem. Você pode escolher entre vários, mas eu recomendaria o One.com (mais acessível) ou o HostGator.

Ter uma boa hospedagem é primordial (ex.: para o seu SEO). Ou seja, se você leva o seu blog a sério, procure uma solução de hospedagem avançada, como o SiteGround, geralmente mais cara.

Um dos pontos positivos do WordPress é que você pode mudar de template e o seu site terá um aspecto totalmente diferente com apenas alguns cliques.

O WordPress mesmo oferece um repertório de templates que você pode usar de graça. Mas, se quiser um template mais sofisticado e suporte para isso, confira os marketplaces de temas do WordPress, como o ThemeForest ou o Templatemonster.

Para um blogueiro, o WordPress inclui todos os recursos necessários (ex.: categorias, tags, etc.). Mas nem tudo que reluz é ouro, o WordPress traz algumas complicações que você deve saber. Vejamos suas vantagens e desvantagens:

Prós Contras
  • Muito poderoso: O WordPress é uma solução avançada e os limites são (praticamente) zero. É possível alterar o sistema adaptando-o às suas necessidades (ex.: se conectar com um banco de dados), mas para tanto você vai precisar de conhecimentos técnicos ou de um desenvolvedor.
  • Pode sair barato: Como o software é de código aberto, você não precisa pagar por ele. Se escolher um provedor de hospedagem acessível (como o One.com), o seu blog pode sair barato, contanto que você não tenha templates premium, plugins ou a ajuda de um desenvolvedor.
  • Migrar o seu site para qualquer lugar: Se você não estiver satisfeito com o seu provedor de hospedagem atual (ex.: caro demais), pode migrar o seu blog WordPress para outro.
  • Plugins para todos os tipos de recursos: O WordPress permite adicionar plugins (extensões) para obter recursos extras no seu blog WordPress (ex.: opções avançadas de SEO).
  • Variedade de templates: O WordPress tem uma infinidade de templates (ex.: no ThemeForest) que você pode instalar para mudar totalmente o aspecto do seu blog. Esteja ciente de que alguns templates são melhores do que os outros.
  • Não é tão fácil de usar: É verdade que você pode instalar um template e (mais ou menos) criar o seu blog. Porém, mudar o design ou mesmo atualizar o código do sistema pode ser necessário.
  • Instalação e atualizações: O WordPress precisa ser instalado em um servidor – isso não é difícil. Mas ele também precisa ser atualizado continuamente, o que pode levar tempo e trazer alguns problemas, por isso você precisa estar à altura.
  • Nenhum suporte (oficial): O WordPress conta com uma grande comunidade de usuários ativos, mas não fornece um suporte oficial. Se você ficar perdido, prepare-se para ler conversas longas no fórum ou contratar um desenvolvedor.
  • Segurança: O WordPress é um projeto de código aberto e, às vezes, os (malditos) hackers encontram brechas e as usam para comprometer sites. Atualizações diretas costumam resolver isso, mas saiba que existe a possibilidade de ser hackeado se elas não forem feitas.

Você gostaria de saber mais sobre o WordPress e assistir a alguns tutoriais em vídeo? Confira o nosso guia WordPress detalhado.

Weebly – Fácil e flexível

criar blog weebly

O Weebly é um dos criadores de site mais conhecidos e vem sendo usado há um bom tempo, desde 2006.

Na minha experiência, o editor de blog deles é um dos mais flexíveis que eu já testei. Por exemplo, você pode mudar o layout do post (ex.: barra lateral / sem barra lateral) individualmente para cada um. Além disso, ele inclui recursos robustos de blog, como feed RSS, categorias, posts programados e perfis de autores.

Mas, deixe-me falar um pouco mais sobre os prós e contras para que você saiba se ele é adaptado ao seu projeto:

Prós Contras
  • Fácil de usar: O Weebly está no meu top 3 das ferramentas de uso fácil. O editor de arrastar/soltar faz com ele seja excepcionalmente intuitivo para os principiantes.
  • Sistema flexível: Diferente de outros criadores de site e do WordPress, o Weebly permite que os usuários adicionem elementos nos posts. Por exemplo, galerias de imagens, formulários ou mapas.
  • Suporte específico: Eles disponibilizam suporte 24 horas por dia por e-mail, telefone ou chat ao vivo, mas apenas em inglês.
  • Plano grátis: Se você só está querendo testar o Weebly e não tem certeza para assinar um pacote pago, eles oferecem um plano gratuito generoso.
  • Não tão poderoso: O Weebly foi projetado para principiantes que não sabem codificar (e também não pretendem aprender). Assim, você não pode fazer certas coisas, como criar o diretório do site ou se conectar a bancos de dados externos. Somando tudo, isso pode limitar o seu potencial para se destacar dos outros blogs.
  • Templates do blog: O Weebly proporciona muitos templates grátis que você pode usar. Porém, outras soluções como o WordPress ou a Wix apresentam uma variedade maior.
  • Restrições de SEO: Apesar de as opções de SEO do Weebly não serem nada ruins, elas não são tão flexíveis quanto as do WordPress. Por exemplo, com o Weebly, você tem limites de tags de cabeçalho (apenas H1 e H2).

Resumidamente, o Weebly é uma ótima plataforma de blog para iniciantes que não precisam de soluções avançadas e querem lançar seu blog rapidamente.

> Testar o Weebly de graça

Wix – Fácil e bonita

A Wix é, de longe, o criador de site mais utilizado do mercado, com mais de 100 milhões de usuários.

Sendo sincero, não acho a abordagem de blog deles tão inteligente quanto a do Weebly ou do WordPress – não é tão flexível e faltam recursos. Porém, o seu enfoque sobre o web design é realmente único, sendo atraente para pessoas criativas que querem criar um blog.

Por enquanto, digamos que você precise criar um portfólio para mostrar o seu trabalho. Mas, além disso, você gostaria de turbinar o marketing do seu conteúdo com o blog. A Wix é a provavelmente a sua melhor opção, já que é uma ferramenta bastante visual.

Prós Contras
  • Fácil de usar: Outra ferramenta da mais alta qualidade em se tratamento de facilidade de uso. Em 2 ou 3 horas você encontra o seu caminho com a Wix.
  • Designs incríveis: Do meu ponto de vista, eles têm os melhores designs. E, além disso, oferecem mais de 50 templates de blog de graça.
  • Suporte específico: Eles contam com uma equipe de suporte 24 horas que vai responder às suas perguntas por e-mail ou telefone.
  • Aplicativos práticos: Como com o WordPress, você pode acrescentar extensões ao site Wix e expandir as capacidades do seu blog. Por exemplo, organizar eventos, páginas para membros ou, mesmo, galerias avançadas para fotógrafos.
  • Plano grátis para um primeiro teste: É bem legal que a Wix deixe você testar a plataforma de graça por quanto tempo quiser. Você só precisa fazer o upgrade para um plano pago se estiver satisfeito e quiser usar o seu próprio nome de domínio.
  • Problemas com o SEO: Apesar de o SEO da Wix ser bom no geral, pode haver algumas limitações que você precisa saber (ex.: nome de arquivos de imagens).
  • Preço: Você precisa se preparar para gastar $13 por mês para um blog Wix com o seu próprio nome de domínio e sem anúncios da Wix.
  • Tecnologia limitada: Apesar de a Wix (Code) oferecer recursos avançados para desenvolvedores (ex.: integrações de API), você pode precisar de uma solução mais robusta para criar um blog sofisticado (ex.: um diretório de site).

Se você tem a intenção de criar um site bastante visual com um blog vinculado (ex.: portfólio + blog), recomendo testar a Wix.

> Testar a Wix de graça

Escolher um template

blog template

Os templates, ou temas, moldarão o design e o layout do seu blog. Obviamente, você vai querer um que seja elegante e intuitivo.

Temas do WordPress

Escolher um template para o WordPress pode ser um pouco complicado porque existem milhares disponíveis.

Como já mencionei, você pode usar um dos templates gratuitos do WordPress.

Mas, se quiser algo mais elaborado ou gostaria de ter um mínimo de suporte, escolha um tema premium em um dos marketplaces (ex.: ThemeForest ou Templatemonster). E é aí que a confusão começa.

pick wordpress theme theme forest 1

Quando eu vou selecionar um template WordPress, presto atenção nisso:

  • O preço – costumo definir um orçamento de antemão.
  • O design geral – você gosta dele ou não?
  • Designs responsivos – verificar o template em um dispositivo móvel, se tudo está ok.
  • A reputação do vendedor – se eles atualizam os temas, respondem às perguntas, oferecem demonstrações ao vivo, etc.
  • Comentários para aquele template – a maioria dos sites que vendem templates têm um tipo de sistema de comentários para que você possa averiguar.
  • O quanto o template é procurado – quantas vezes ele foi vendido? Quanto mais instalações, maior a probabilidade de receber suporte e atualizações futuramente.
  • É compatível com os plugins que você vai usar (ex.: Yoast, WPML, Gravity Forms, etc.)?
  • É adaptado para o SEO? – leia o que os outros usuários vão dizer sobre isso.

Pessoalmente, eu não gosto de instalações muito complicadas. Então, tento ficar longe de temas que oferecem uma série de coisas que não preciso (ex.: recursos para membros) porque isso dificulta a manutenção do blog.

Basicamente, acabo com uma lista de 4 ou 5 templates relevantes para o meu segmento. Depois, é só questão de escolher o vencedor: eu atribuo notas para todos eles quanto as aspectos acima.

Observação: se você já tem um template e conteúdo no seu blog, instalar um novo template pode te deixar sem site. Portanto, assegure-se de fazer um back-up antes de começar o processo.

Templates de criadores de site

Se você usa um criador de site como a Wix ou o Weebly, basta navegar pela biblioteca de templates e escolher o que mais atende às suas necessidades e seu segmento. Todos eles são desenvolvidos internamente, então não se preocupe com questões técnicas ou de segurança.

Páginas adicionais

outras paginas do blog

Claro que você só quer escrever posts sobre assuntos que o fascinam. Mas, você vai ter que adicionar páginas para preencher o seu blog.

  1. Condições de Uso e Política de Privacidade: eu sei que isso é muito chato. Porém, a maioria dos países exige que os sites (e mesmo blogs) incluam essas formalidades. Você pode conferir o Iubenda, um serviço bastante prático para criar uma política de privacidade que também engloba uma versão gratuita.
  2. Página de contato: deve haver um meio para que os visitantes entrem em contato com você, e divulgar o seu e-mail por todo lado não é a melhor ideia – você pode ser alvo de spammers, como “o príncipe nigeriano”. Para evitar, publique uma página de contato com um formulário vinculado ao seu e-mail pessoal.
  3. Quem sou eu: toda vez que eu vejo um site sem uma seção “Quem sou eu/Quem somos nós” eu penso “Hum… o que será que ele(s) está(ão) escondendo?” e fico desconfiado. Acredito que para você também seja assim, então, não se esqueça de criar uma página “Quem sou eu” bacana.
  4. Mapa do site: a maioria das plataformas vai criá-lo automaticamente. Mas você precisa verificar se existe um para o seu blog, já que essa é uma boa prática para o SEO. E lembre-se de inseri-lo também no Google Search Console!

Se você oferece mais do que conteúdo (ex.: serviços on-line), também deveria criar páginas para essas coisas. No entanto, nem todos os blogs fazem, então talvez você não sinta falta.

Planejar o conteúdo do seu blog

planejar seu conteudo do blog

Se você quer um blog frutífero, vai ter que produzir conteúdos exclusivos que as pessoas gostem e criem engajamento.

Eu sei que é mais fácil falar do que fazer.

Mas, uma vez que criar conteúdo deve ser a sua prioridade n.° 1 (é isso que o blog “vende”), você deve se preparar com antecedência e formular um calendário editorial. Eu faço assim:

  1. Decida com que frequência você gostaria de publicar – uma vez por semana, duas vezes por semana, uma vez por mês, etc.
  2. Crie um calendário de 1 ano com os intervalos de publicação (ex.: semanalmente, mensalmente, etc.). Eu uso uma planilha para isso, mas um calendário normal ou virtual (ex.: Google Calendar) também funciona.
  3. Procure ideias para agradar ao seu público – ex.: refletindo, pesquisando ou perguntando para os seus leitores em potencial.
  4. Qual conteúdo criar para cada ideia (ver mais na sequência) – posts, imagens, vídeos, etc.
  5. Se o SEO é importante para você (provavelmente sim), procure palavras-chave para cada ideia de conteúdo.
  6. Preencha o calendário com todas as suas ideias e leve em conta as épocas do ano. Você pode usar este template HubSpot (em inglês).
  7. Reveja o calendário a cada 2 ou 3 meses para adaptá-lo a novas situações se necessário.

Não preciso nem dizer que o seu conteúdo deve estar perfeitamente redigido e sem nenhum erro de gramática ou ortografia. Você pode pedir o feedback de um amigo ou contratar um revisor do UpWork ou freelancer.

Observação: é absolutamente normal que os seus artigos não sejam lidos por um grande número de visitantes após a publicação. Geralmente, a indexação pelo Google leva tempo. Uma vez no top 10 dos resultados de uma busca popular, você será recompensado com (geralmente) tráfego constante.

Tipos de conteúdo “sexy”

Do meu ponto de vista, alguns tipos de conteúdo funcionam melhor do que outros. Abaixo, veja os que eu considero os mais interessantes para os blogueiros:

  • Posts: existem vários tipos de post que você pode criar. Por exemplo, artigos com listas, respondendo às perguntas dos leitores, tutoriais, estudos de caso, perfis ou checklists.
  • Ilustrações e infográficos: se você tem conhecimento em design gráfico (ou tem talento artístico), é possível criar recursos gráficos (ex.: infográficos) para respaldar visualmente as informações do seu post. Outra opção é o Fiverr, que propõe ilustrações e infográficos por um preço relativamente baixo.
  • Produção de vídeo: leva tempo, mas quando bem feita, ela pode dar um bom impulso no seu SEO e sua presença on-line.
  • Fotos profissionais: colocar fotos nos seus posts poder ser uma excelente ideia. Mas elas precisam estar boas, já que imagens de má qualidade penalizam consideravelmente a percepção do seu site.
  • Compartilhar dados: se você tem acesso a estatísticas interessantes (ex.: dos seus clientes), use esses dados. Os leitores vão amar e quem sabe grandes empresas queiram compartilhá-los.
  • Ser concreto: humanos gostam de exemplos, então, estudos de caso e situações da vida real costumam chamar bastante atenção (ex.: como o João conseguiu melhorar a sua situação financeira).
  • Fazer um podcast: muitos blogueiros têm seus próprios podcasts atualmente e parece funcionar. Pessoalmente, acho que isso demanda muito esforço e só compensa para quem tem um certo público.

Como promover o seu blog e conseguir tráfego

promova seu blog

Não é uma pergunta fácil de ser respondida, a única coisa que eu posso garantir é que isso requer tempo e muito trabalho. Como disse a professora Lydia Grant no seriado Fame:

“Têm grandes sonhos? Querem fama? Bem, a fama tem um preço. E é aqui mesmo que começam a pagá-lo”.

No fim das contas, a promoção do seu blog vai depender das características do seu projeto e da sua personalidade. No entanto, encontre aqui algumas ideias para aumentar o seu tráfego:

  • SEO: se o seu objetivo é atrair bastante tráfego para o seu blog, a Search Engine Optimisation deve ser um componente essencial no seu planejamento. A otimização para o Google (e outros mecanismos de busca) leva tempo, esta estratégia é de meio/longo prazo. Se você puder tratar disso sozinho, não precisará gastar dinheiro.
  • Posts convidados: é comum que alguns blogueiros postem em outros sites para conseguir backlinks e tráfego. Isso é especialmente eficaz se você conseguir aparecer em publicações importantes (ex.: The Huffington Post). No meu caso, fico um pouco triste toda vez que posto conteúdo em outro site, porque me apego aos meus artigos.
  • Tráfego pago: se você está querendo turbinar rapidamente o seu tráfego (ex.: em algumas horas), precisa estabelecer uma campanha de tráfego pago (ex.: AdWords, anúncios no Facebook, etc.). Mas é preciso investir e quando você para de pagar, o tráfego simplesmente desaparece, puf!
  • Redes sociais: Instagram, Pinterest, Facebook e Twitter podem ser ótimos meios de aumentar a popularidade do seu blog e conseguir seguidores que se transformarão em leitores fiéis. É difícil medir os resultados das redes sociais, mas eles podem ser bastante rentáveis. Isso é especialmente recomendado se o tema do seu blog é visual, como gastronomia, joalheria ou fotografia.
  • E-mail marketing: apesar de os primeiros e-mails em massa terem sido enviados há muito tempo (1978), o e-mail marketing ainda oferece um ROI considerável, aparentemente $38 para cada $1 investido (em inglês). Na minha opinião, criar uma lista de e-mails é uma boa forma de reter o seu público. Você pode fazer isso com ferramentas como Mailchimp, SendinBlue e GetResponse.
  • Se fizer parcerias com empresas ou outros blogs, assegure-se de que eles vinculem links ao seu blog para trazer tráfego. As duas partes saem ganhando.

Como ganhar dinheiro com um blog

ganhar dinheiro com o blog

Para muitos, criar um blog de sucesso é, em grande parte, ganhar dinheiro com ele. Então, vou deixar algumas ideias de como monetizar o seu blog.

Vender espaços para anúncios

Basicamente, você coloca anúncios no seu site, como em revistas e jornais. Tenho certeza de que você vê dezenas (se não centenas) deles por dia e já deve conhecer esse método de monetização.

Vejamos que tipo de anúncios você pode encontrar on-line:

  • Pagamento por impressão (custo por impressão) é quando o anunciante paga a cada vez que o anúncio é exibido.
  • Pagamento por clique é a forma mais comum de remuneração dos sites. Você coloca um anúncio (ex.: banner) no seu site e ganha dinheiro a cada vez que um usuário clica nele.
  • Pagamento por ação é quando o anunciante paga a cada vez que o usuário realiza uma ação (ex.: preencher um formulário ou criar uma conta).

Se você pretende colocar anúncios no seu site, vai precisar de um público grande para ser rentável, pois o retorno é relativamente baixo.

Para conseguir anunciantes, você pode usar uma rede de anúncios (ex.: AdSense, Amazon ou Infolink) ou entrar em contato com eles diretamente – provavelmente você tem que ter um bom público para que eles prestem atenção em você.

anuncios

Observação: os anúncios podem realmente atrapalhar a leitura, portanto não recomendo encher suas páginas de banners.

Marketing de afiliação

Se você tem ideias de bons produtos que podem interessar o seu público, promova produtos de terceiros e receba uma comissão para cada venda. Por exemplo, se você tem um blog de gastronomia, pode recomendar os seus utensílios preferidos da Amazon.

Os links nessa página estão vinculados a um afiliado. A cada vez que um usuário clica neles e compra alguma coisa, o dono do site ganha uma comissão.

A Amazon Associates, a Tradedoubler e a AWin são redes de afiliação conhecidas.

marketing afiliacion

Observação: este é o método de monetização que escolhemos. Alguns dos links dessa página são de afiliados e podemos ganhar uma comissão se você comprar algo. Isso sem custo extra para você. Achamos que esse é o método mais equilibrado: temos algum rendimento, mas sem bagunçar o nosso site com anúncios que desviam a atenção.

Vender coisas on-line

Existem muitas coisas que você pode vender on-line a fim de complementar a sua renda. Isso é particularmente eficaz para blogs relacionados ao lazer. Por exemplo, você tem um blog de pesca e monta uma loja virtual para vender equipamentos de pesca.

Mas produtos físicos não são os únicos itens, você também pode vender no seu blog:

  • Produtos digitais, como suas próprias músicas, arte ou vídeos.
  • Serviços de consultoria, afinal, você é (ou será) um expert no segmento do seu blog. Por que não aconselhar quem precisa? Imagine que você tem um blog de finanças pessoais, não faria sentido ajudar (e cobrar) quem está procurando uma estratégia personalizada de consolidação de dívidas?
  • Aulas: novamente, como especialista, você pode preparar aulas e vendê-las on-line. Por exemplo, vender on-line aulas de ioga se tiver um blog de ioga.
  • Sites com cadastro e membros são outro dos meus meios preferidos para monetizar blogs. Esta abordagem dá aos usuários pagos um tipo de conteúdo, aula ou produto premium (ex.: relatórios exclusivos, aulas de SEO ou produtos de maquiagem).
  • Vender um e-book é outra maneira de ganhar dinheiro on-line, todo blogueiro parece ter lançado um hoje em dia. Um método habitual é criar uma lista de e-mail oferecendo um exemplar de graça e depois propor também os pagos.

Webinars e eventos

Se o seu público for grande, você pode organizar um evento pessoal ou on-line entre os seus leitores. Exemplo: uma oficina sobre como assar pão. Claro, você pode cobrar a entrada.

Do mesmo modo, você pode organizar um webinar (ex.: oficina on-line) e cobrar os participantes. Os webinars são muito comuns no segmento de marketing digital.

Vender conteúdo patrocinado

Muitos blogs permitem que algumas marcas comerciais coloquem conteúdo no site deles. Você cobra uma taxa para que eles publiquem conteúdo no seu blog.

sponsored content search engine land 1

Observação: esteja ciente de que se você publica artigos patrocinados, deve mencioná-lo corretamente e configurar o link como “no follow”. Caso contrário, você pode ter grandes problemas com o Google e os seus leitores.

Aceitar doações

Você pode pedir que as pessoas contribuam com o seu blog fazendo doações. O PayPal pode ser usado para montar um sistema como esse, embora eu ache raro rentabilizar um blog assim. Outra opção é o Patreon, pelo qual os seus maiores fãs podem apoiar o seu blog financeiramente.

Como criar um blog de sucesso – Considerações finais

Ficou claro que criar blogs não é uma tarefa fácil. Para ser bem-sucedido, você precisa trabalhar pesado e persistir, e provavelmente ter um pouquinho de sorte.

Mas, naturalmente, quanto mais você planejar, mais chances tem de conseguir, então pense de modo estratégico. Veja um resumo do processo etapa por etapa que vai guiá-lo para criar o seu blog e ganhar dinheiro:

  1. Escolha o assunto do seu blog.
  2. Escolha um nome (legal).
  3. Encontre a melhor plataforma – Weebly, Wix ou WordPress.
  4. Escolha o template (design).
  5. Crie páginas adicionais: Quem Sou Eu, Contato e Condições Gerais de Uso.
  6. Planeje o conteúdo.
  7. Promova o seu blog para conseguir tráfego.
  8. Monetize o seu blog e ganhe dinheiro.

Bom, espero que agora você tenha uma ideia mais concreta de como fazer um blog. Estou torcendo para que você tenha se inspirado e o seu blog esteja on-line daqui a alguns dias. Por favor, me diga se você realmente fizer porque eu vou adorar saber.

E, como sempre, deixe um comentário se tiver alguma dúvida. Farei o meu melhor para ajudá-lo.

Boa sorte!

Comentários

Voltar para o topo